terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PORTA LAPIS






Estrutura corporal





MATERNAL I E II



1º Parte
Projeto

Tema: Estrutura corporal

Alunos atendidos: Maternal I e II

Professora: Gicely e Vivian

Duração: Ano de 2004

Objetivos do Projeto:

• proporcionar o conhecimento das partes do corpo, nomeando-as, higienizando-as e reconhecendo sua importância;
• exercitar a observação das características das pessoas, evoluindo no seu traçado em busca de uma representação mais fiel;
• identificar a função de determinadas partes do corpo;
• valorização e apreciação das produções em grupo;
• amenizar a postura egocêntrica desta faixa etária.

Conteúdos Conceituais:

• construção da estrutura corporal;
• cuidados e higiene com as diversas partes do corpo;
• respeito e cuidados com o amigo.

Conteúdos Procedimentais:

1. Roda de conversa sobre a estrutura da figura humana: escolher um aluno para que as crianças o observem e relatem quais as partes do corpo eles conseguem observar: olhos, nariz, boca, etc.
2. Dramatização das partes do corpo, começando pelo rosto, através da brincadeira:

“Janela
Janelinha
Porta
Campainha:
DIN-DON!”

• Brincar com as crianças recitando o versinho, identificando os olhos, boca e nariz;
• Com a ajuda de um espelho, as crianças identificarão no próprio rosto as partes que o compõem ao som de cada verso da brincadeira;
• Pedir às crianças que, com cuidado, indiquem nos colegas as partes recitadas.
3. Desenho coletivo de um rosto: cada criança desenhará uma parte do rosto, identificando com os colegas o lugar correto de onde se encontra parte a ser desenhada.
4. Desenho do rosto de um colega da sala.
5. Roda de apreciação: cada criança apresentará seu desenho ao grupo, dizendo quem desenhou. A professora deverá questionar o desenho, perguntando detalhes como, por exemplo, onde estão os olhos, a boca, etc.
6. Roda de conversa sobre “Os cinco sentidos” (visão, audição, olfato, paladar e tato): a importância dos sentidos, como nos auxiliam diariamente, cuidados necessários e higiene.
7. Visão: utilizando papel celofane de diferentes cores, as crianças poderão apreciar o ambiente colorido.
8. Audição: recreação dirigida - brincar com as crianças de “Gato mia!”.Venda-se os olhos de um aluno que será o caçador. Cantar a música:

“Senhor caçador,
não vá se enganar,
preste muita atenção
quando o gato miar:
- Gato, mia!”

Ao som do ultimo verso, a professora indicará um aluno, que será o gato e deverá dizer “miau!”. O “aluno caçador” tentará descobrir quem de seus coleginhas é o gato.
9. Olfato: estimular o olfato com diferentes cheiros de frutas. Vendaremos os olhos dos alunos para que sintam o cheiro e tentem adivinhar qual alimento estão cheirando.
10. Paladar: as crianças degustarão diferentes tipos de alimentos, doces e salgados, com os olhos vendados. A professora questionará os alunos sobre alimentos que experimentarem: se é gostoso, se já haviam provado, em que local, e deverá adivinhar o nome do alimento.
11. Culinária: escolher uma receita prática para desenvolver com os alunos.
Enfocar os cheiros dos ingredientes, o estado que se encontram antes e depois de misturados, etc.
12. Tato: exploração das mãos: para que servem, quantas temos, o que vemos nas mãos, quantos dedos, higienização, etc.
13. Manusear diferentes tipos de texturas com os alunos (macia, ásperas, objetos sólidos, líquidos, etc.) e temperaturas (quente e frio).
14. Carimbo das mãos com tinta guache.
15. Exploração dos pés: Para que servem, quantos temos, quantos dedos em cada pé, higienização, etc.
16. Desenho do contorno dos pés e pintura livre.
17. Recreação dirigida: vamos brincar de “Adivinhe o que é?!”. A brincadeira consiste em o aluno, com os olhos vendados, adivinhar o nome do objeto que estará apalpando com os pés.
18. Exploração das outras partes do corpo: ombros, braços, pernas, etc. para que servem, quantas temos, no que nos auxiliam, etc.
19. Desenho coletivo de um corpo. Cada criança desenhará uma parte do corpo indicado pela professora.
20. Recreação dirigida: as crianças poderão explorar os diferentes movimentos do corpo brincando de “Estátua”. A brincadeira se inicia ao som de uma música, deverão ficar imóveis, ou seja, sem se mexerem. Variar os ritmos musicais.
21. Desenho com interferência de revista: as crianças deverão completar o que está faltando no desenho.
22. Recreação dirigida envolvendo estrutura corporal: Vamos cantar a musica “Cabeça, ombro, joelho e pé”, indicando as partes do corpo citadas nos versos.
23. Com o contorno de uma das crianças fazer um boneco de pano para ser mais um integrante do grupo. Assim que o boneco ficar pronto, as crianças colocarão feltro para dar a estrutura de um boneco. Faremos olhos, nariz e boca com caneta para tecido e o cabelo será feito de lã.
24. Roda de conversa: decidir se o boneco será menino ou menina, e escolher um nome para ele.
25. Depois de decidido o nome do boneco, pedir para as crianças doação de roupas para ele: cueca ou calcinha, meia, tênis e um uniforme do colégio (ver a possibilidade da escola doar o uniforme).
26. Estabelecer com o grupo regras de cuidados com o boneco, tais como: não molhar, pois ele é de pano, não sujar, etc.
27. Desenho de como ficou nosso boneco pronto.
28. Recreação dirigida envolvendo estrutura corporal: as crianças e a professora irão se movimentar, indicando as partes do corpo que a música indicará: música “Foi à feira”.
29. Toda sexta-feira, sortear uma criança para levar o boneco para a casa. Na segunda-feira a criança deverá trazer de volta o boneco, a folha de registro de como foi o final de semana, escrita pelos pais do aluno e fotos para socializar em roda com o grupo.
30. Desenho de observação das professoras: cada criança poderá escolher uma professora da sala para desenhar.
31. Roda de apreciação: cada criança deverá apresentar seu desenho ao grupo, dizendo quem desenhou. A professora deverá questionar o desenho, perguntando detalhes como: onde estão os olhos, a boca, as orelhas, etc.
32. Desenho com interferência de revista: as crianças deverão completar o que está faltando.
33. Recreação dirigida envolvendo estrutura corporal: “Mamãe mandou”. A brincadeira se inicia quando as crianças estarão espalhadas pelo pátio e a professora diz “mamãe mandou” e as crianças perguntam “o que?”, e então a professora dará o comando “rastejar pelo chão”, e todos fazem. Variar a brincadeira com diversos movimentos: pular, virar cambalhota, andar para o lado, etc.
34. Organizar com as crianças as fichas de relato dos pais e as fotos para montar o livro de registro.
35. Combinar com o grupo a capa do livro e providenciar os materiais necessários para confeccioná-la.
36. Roda de apresentação: mostrar aos alunos o livro concluído e relembrar cada passo do nosso projeto. Os alunos darão suas opiniões sobre: o que mais gostaram de fazer, o que menos gostaram, etc.

Conteúdos Atitudinais:

• compartilhar descobertas;
• respeitar a opinião dos colegas de classe;
• respeitar e cumprir os combinados;
• valorizar produções individuais e em grupo.

Culminância:

Livro com registro e fotos trazidos pelos alunos, fotos e relatos do trabalho desenvolvido em sala de aula, desde a confecção do boneco às atividades realizadas.
2º Parte
Desenvolvimento do Projeto


Escolha do modelo para confecção do boneco

A escolha da criança modelo foi definida a partir do conceito grande, pequeno a professora perguntou para as crianças se elas gostariam de ter um novo amigo ou amiga em forma de boneco, que fosse grande ou pequeno, e, elas responderam que queriam um pequeno. No primeiro momentos, todas indicaram seu próprio nome, então houve intervenção da professora, dizendo que era preciso escolher um amigo(a) e nesse momento as crianças apontaram a Isabella para ser o modelo, pois elas falaram que a Isabella era pequena.
Em seguida contornamos o corpo da Isabella no papel Kraft.

Escolha do sexo e do nome

As crianças decidiram que o boneco será do sexo masculino.
A escolha do nome foi um pouco confuso, pois as crianças não conseguiam falar nenhum nome próprio, então a professora interviu citando alguns nomes, como por exemplo: Marcelo, Alexandre, Fábio, Gabriel, João, Manuel, etc.
Por fim o nome foi: João.

Construção do boneco no pano

Pegamos nosso molde (da criança escolhida) e começamos a confeccionar nosso boneco. Coloquei o molde do papel Kraft em cima do pano e contornei, depois irei cortar o pano e começarei a costurar.
Não costurei tudo com as crianças, somente um pouco para que elas entendam o processo de confecção.
Momento registrado com foto.

Enchimento do boneco

Pegamos o molde do boneco de pano vazio e enchemos de manta acrílica. As crianças ajudaram o enchimento pegando a manta acrílica em pedaços e dando para professora.
Momento registrado com foto.

Construção do rosto e cabelo do boneco

Neste momento as crianças não devem participação, pois a professora mexeu com cola quente e agulha, sendo assim mais seguro para crianças.
Após o boneco ficar pronto cada criança vai passar o fim de semana com ele.
Momento registrado com foto.

PROJETO: Animais Selvagens





PROJETO: Animais Selvagens
Área de conhecimento: Natureza e Sociedade

Duração: quatro meses

Justificativa:

Escolhi estudar os animais selvagens porque este tema desperta grande interesse por parte dos alunos e poderá através de diferentes fontes de pesquisa pode oferecer um conhecimento básico sobre a vida animal e suas principais características, e também, sobre a região a que pertencem esses animais.

Objetivos:
• Desenvolver o interesse pelo mundo que nos rodeia, valorizando – o e respeitando as diferentes espécies de seres vivos.
• Obter informações de diferentes fontes, não centrada no professor.
• Ter conhecimento das características básicas de alguns animais selvagens, bem como seu habitat.

Objetivo Especifico:

- Oferecer oportunidade à criança de participar com atenção e interesse de todas as propostas de trabalho:
- Retirar informações (com a ajuda do professor) a respeito das imagens contidas nos textos;
- Estabelecer comparações sobre a diversidade das formas de vida.




Conteúdo:

- Características físicas dos animais
- Alimentação
- Habitat
- Ataque e defesa
- Hábitos e curiosidades.

Orientações Didáticas:

• Selecionar materiais (livros, revistas, fotos e vídeos).
• Promover rodas de conversas para levantamento prévio.
• Promover situações de aprendizagem através da busca de informações nas diversas fontes, da troca de informações e idéias sobre o assunto.

Encaminhamentos:

- Exibir a fita de vídeo – “ O Rei Leão”
- Listar os animais que iremos estudar
- Elaborar roteiro do que queremos saber sobre eles.
- Dividir a classe em grupos para pesquisas.
- Pesquisar em livros, revistas e vídeos a vida dos animais selecionados.
- Selecionar, discutir e organizar as informações coletadas.
- Confeccionar painel sobre o tema com figuras e legendas.
- Confeccionar uma maquete com os animais estudados e seu habitat.

PROJETO: APRENDER BRINCANDO





PROJETO: APRENDER BRINCANDO
TEMPO PREVISTO: UM SEMESTRE.

Justificativa: A partir de uma observação direta entre os alunos, percebi a necessidade de desenvolver um projeto a fim de proporcionar o aprendizado do manuseio da tesoura de maneira prazerosa; para isto escolhi trabalhar com a apreciação de obras de artes de Henri Matisse.

Objetivos:-

Produzir trabalhos de artes, utilizando a linguagem da pintura, do recorte e da colagem, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.
Didático: Utilizar as obras de Matisse para enriquecer o percurso criador das crianças em relação ao fazer e ao apreciar.
Específicos: Habilidade no manuseio da tesoura e a criação de desenhos através do recorte e colagem.

Conteúdo:-

• Explorar e aprofundar o uso adequado da tesoura.
• Exploração de alguns procedimentos para recortar.

Etapas previstas:-

• Conversar com as crianças sobre a possibilidade de se criar desenhos usando somente o recorte e a colagem.
• Apreciação de obras de Matisse (recorte e colagem).
• Oferecer tesouras, papel e cola para a elaboração de trabalhos.
• Propor recorte e colagem criando desenhos ou cenas (uma vez por semana).
• Espalhar pela sala reproduções de matisse para que as crianças tenham boas imagens.
• Propor a reprodução de uma obra de Matisse através da observação.

Produto final:

Confeccionar um álbum com as produções realizadas pelas crianças durante a evolução do projeto e também exposição de alguns trabalhos coletivos.

PROJETO: APRENDER BRINCANDO





PROJETO: APRENDER BRINCANDO
TEMPO PREVISTO: UM SEMESTRE.

Justificativa: A partir de uma observação direta entre os alunos, percebi a necessidade de desenvolver um projeto a fim de proporcionar o aprendizado do manuseio da tesoura de maneira prazerosa; para isto escolhi trabalhar com a apreciação de obras de artes de Henri Matisse.

Objetivos:-

Produzir trabalhos de artes, utilizando a linguagem da pintura, do recorte e da colagem, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.
Didático: Utilizar as obras de Matisse para enriquecer o percurso criador das crianças em relação ao fazer e ao apreciar.
Específicos: Habilidade no manuseio da tesoura e a criação de desenhos através do recorte e colagem.

Conteúdo:-

• Explorar e aprofundar o uso adequado da tesoura.
• Exploração de alguns procedimentos para recortar.

Etapas previstas:-

• Conversar com as crianças sobre a possibilidade de se criar desenhos usando somente o recorte e a colagem.
• Apreciação de obras de Matisse (recorte e colagem).
• Oferecer tesouras, papel e cola para a elaboração de trabalhos.
• Propor recorte e colagem criando desenhos ou cenas (uma vez por semana).
• Espalhar pela sala reproduções de matisse para que as crianças tenham boas imagens.
• Propor a reprodução de uma obra de Matisse através da observação.

Produto final:

Confeccionar um álbum com as produções realizadas pelas crianças durante a evolução do projeto e também exposição de alguns trabalhos coletivos.

“EU E O MEIO EM QUE VIVO”



PROJETO : “EU E O MEIO EM QUE VIVO”




PROFESSORA :

TURMA : MATERNAL II



TEMA

Eu e o meio em que vivo

PROBLEMATIZAÇÃO

Projeto Institucional

OBJETIVOS GERAIS

• Estudar a família de cada criança a fim de que conheçam melhor seus familiares e as pessoas que fazem parte do meio em que ela está inserida para que no futuro ela se sinta capaz de entender o meio em que vive, respeitando de forma crítica e questionadora as normas e regras que a norteiam.
• Adquirir conhecimentos das partes do corpo, identificando e nomeando-as

JUSTIFICATIVA

A imagem corporal que o indivíduo tem de si mesmo é o ponto de referência para todo o tipo de aquisição de conhecimento. É através do domínio do próprio corpo que irá estruturar e organizar o conhecimento do mundo exterior.
As atividades propostas possibilitarão aos alunos adquirir o conhecimento de si mesmo e de sua família, levando-os a descobrir-se, sentir que possuem um nome, uma identidade e que fazem parte de um conjunto de pessoas, em casa, na escola e na sociedade.

CONTEÚDOS

ATITUDINAIS

• Levar a criança a refletir ajudando-a a pensar;
• Fazer com que a criança adquira hábitos, atitudes e habilidades para melhorar sua convivência na escola, na família e sociedade;
• Conhecer o nome da criança;
• Identificar o próprio nome e o do colega;
• Conversar sobre quem faz parte da família;
• Estabelecer relações e diferenças entre a casa e a escola;
• Conhecer o próprio corpo;


PROCEDIMENTAIS

• Registro das partes do corpo (contorno das crianças com giz no chão)
• Colagem sobre um grande boneco de papel (identificar os olhos, a boca, o nariz, braços, penas etc...)
• Músicas que falem do nosso corpo e cuidados com ele;
• Mural com fotos da família;
• Confecção de uma “carteira de identidade”;
• Trabalhar a parlenda: “Sou pequenininho do tamanho de um botão...”( desenvolver a linguagem oral);
• Brincar de casinha dramatizando situações familiares;
• Dobradura representando a escola;
• Música “ A casa” Vinícius de Morais;
• Literatura Estória do Bonequinho Doce;
• Confecção de um álbum com algumas atividades desenvolvidas e ao final mostrar às crianças e relembrar cada passo do nosso projeto, assim elas poderão dar suas opiniões sobre o que mais gostaram, o que menos gostaram....

CONCEITUAIS

• Identificar a si mesmo, o próximo, o ambiente em que vive e o ambiente escolar;
• Estabelecer relação com a escola e a família;
• Fazer com que a criança seja capaz de perceber-se como um ser social e que possui uma história;
• Ampliar o vocabulário;
• Explorar diferentes afazeres artísticos, desenhando, colando e pintando;



DURAÇÃO

Aproximadamente três meses


AVALIAÇÃO

Contínua e processual

Jogos e Brincadeiras.

PROJETO

Tema: Jogos e Brincadeiras.

Alunos atendidos: Maternal I e II

Duração: 1Ano

Objetivos do Projeto:
- Ampliar as possibilidades de comunicação e expressão.
- Reconhecer o próprio corpo, explorando os movimentos e suas diversas possibilidades de exploração (correr, saltar, rolar, etc.).
- Utilizar, em jogos e brincadeiras, movimentos ricos e diversificados, procurando
ampliar seu repertório, desafiando suas potencialidades.
- Aperfeiçoar suas habilidades manuais, através da manipulação de materiais, objetos
e brinquedos diversos.


Conteúdos Conceituais:
- Coordenação motora.
- Lateralidade.
- jogos com regras.
- Brincadeiras de roda.


Conteúdos Procedimentais:

1- Propor uma roda de conversa e informalmente a professora irá contar para as crianças sobre o projeto de jogos e brincadeiras. Pedir para as crianças que digam (se lembrarem) o nome de jogos e brincadeiras que já conhecem. Fazer um cartaz com os jogos e brincadeiras que o grupo conhece.

2- Escolher um dia da semana para realizar essas atividades e a princípio, realizaremos as brincadeiras e jogos que as crianças já conhecem. Em roda a professora irá explicar as regras da brincadeira ou do jogo e no pátio ou quadra, realizarão o desenvolvimento da mesma. Em sala, as crianças irão recordar as regras e a professora será a escriba. Em seguida, farão um desenho livre sobre a atividade realizada.

3- Após realizar as brincadeiras já conhecidas pelas crianças do grupo, a professora irá apresentar um jogo ou brincadeira nova. Ainda na mesma semana as crianças poderão realizar mais de uma vez a atividade proposta para que depois façam por escrito as regras e o desenho livre.

4- Organizar as regras e os desenhos livres para confecção de um livro individual para as crianças.

5- Confeccionar uma capa e encadernar o livro.

6- Os jogos e brincadeiras propostas pela professora poderão se repetir de acordo com a vontade do grupo, porém, o registro para o livro será realizado apenas uma vez.


Conteúdos Atitudinais:
- compartilhar descobertas.
- desenvolver atitude de respeito em relação as professoras e colegas.
- respeitar as regras e combinados.
- cooperar com o grupo.


Culminância:
- coletânea de jogos e brincadeiras com as regras (proposta coletiva) e ilustrações realizadas individualmente.

Duração: 1 ano letivo.
(Observação: este projeto está em andamento desde o início de 2000.)
Séries a que se destina: Educação infantil a 4ª série
JUSTIFICATIVA
Educar! Tarefa das mais difíceis! Como se preparar na vida e para a vida? Todo ser humano tem suas crenças e com base nelas seus pensamentos e sentimentos, que culminam nas atitudes.
Acredita-se numa sociedade mais humana e justa, sem preconceitos, em que os cidadãos atuem compromissados com o bem comum.
A escola se tornaria vazia e ineficiente se se omitisse de resgatar certos valores "adormecidos" na consciência humana. Por esse motivo, torna-se essencial refletir o mundo atual, fortalecer e renovar as "crenças", inserindo no processo educacional valores que possibilitem a formação integral de nossos alunos.
OBJETIVOS
O professor, entendendo que o agente principal da escola é o aluno, deverá:
• compromissar-se com a filosofia de nossa escola;
• propiciar o desenvolvimento de virtudes indispensáveis à formação humana;
• intensificar o trabalho de valores, consciente do papel social da escola, de modo a oportunizar as reflexões e atitudes que visam ao bem-estar dos cidadãos e o fortalecimento da autonomia dos homens.
PROCEDIMENTOS
• Os valores a serem trabalhados deverão atravessar as áreas de conhecimento. O professor deverá estar atento aos melhores momentos para tratar deste assunto. Poderão ser ocasiões imprevistas – como uma notícia no jornal ou uma briga no recreio, que mobilizem os alunos – ou ocasiões criadas pela sensibilidade do professor.
• Todos os docentes deverão ler, para suporte de seus enfoques, o Livro das virtudes para crianças de William Bennett. Editora Nova Fronteira.
• Selecionar canções coerentes com as temáticas em voga.
• Organizar murais sobre os valores a serem abordados em cada mês.
• Incentivar e proporcionar a leitura e a produção de textos com o valor em questão.
• Realizar dinâmicas de grupos que favoreçam essas reflexões (ver sugestões).
• Seguir o cronograma:
Valores trabalhados no 1º semestre de 2000 Valores a trabalhar no 2º semestre de 2000
FEVEREIRO AGOSTO
2ª quinzena – amizade 1ª quinzena – verdade
MARÇO 2ª quinzena – União
1ª quinzena – cooperação SETEMBRO
2ª quinzena – respeito 1ª quinzena – Liberdade
ABRIL 2ª quinzena – Dedicação
1ª quinzena – responsabilidade OUTUBRO
2ª quinzena – carinho 1ª quinzena – Alegria
MAIO 2ª quinzena – Partilha
1ª quinzena – amor NOVEMBRO
2ª quinzena – bondade 1ª quinzena – Solidariedade
JUNHO 2ª quinzena – Paz
1ª quinzena – honestidade
2ª quinzena – justiça
Os valores acima mencionados não foram escolhidos por mero acaso, mas por meio da pesquisa realizada pela escola, a qual possibilitou um levantamento dos anseios dos pais em relação ao que gostariam que fosse trabalhado com seus filhos.
• Bibliografia de apoio
Coleção Valores para a Vida – Enciclopédia Britânica do Brasil.
Coleção Sentimentos, de Janine Amos. Editora EKO.
Fábulas,
Coleção Se Ligue em Você, de Luiz A. Gasparetto. São Paulo, Espaço, Vida & Consciência.
O desafio do mar, de Vilmar Berna. São Paulo, Paulinas.
Aprendendo a ser e a conviver, de Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro. São Paulo, FTD.

Adaptação escolar

Projeto de Adaptação escolar –

Justificativa:
Os primeiros dias na escola geram expectativas, ansiedade, insegurança, angústias, medos e dúvidas em pais, crianças, professores e funcionários. Considerando esse momento muito importante é fundamental desenvolver um trabalho que facilite a transição do ambiente familiar ao escolar, pensando e planejando atividades que garantam uma inserção gradativa, envolvendo todos em um ambiente afetivo e acolhedor.

Objetivo:
 Proporcionar um ambiente agradável e acolhedor, visando o bem-estar do educando;
 Que a criança sinta-se acolhida como um indivíduo se integrando á dinâmica do grupo.
 Desenvolver atividades que permitam que as crianças e pais conheçam e interajam entre si, professores e funcionários.
 Familiarizar a criança ao espaço escolar e sua rotina;
 Oferecer aos pais sugestões, dicas e idéias que facilitem este momento de separação e conquista;
 Que a criança sinta-se á vontade para manifestar suas emoções e necessidades;
 Estabelecer uma comunicação entre pais e membros da escola com a participação da criança.

Conteúdos Conceituais
 Identificação das pessoas suas funções no ambiente escolar;
 Conhecer o espaço físico e a rotina da escola;
 Construção da própria imagem e da identidade;
 Valorização positiva da própria identidade;
 Elaboração oral e coletiva de regras de convivência.

Conteúdos procedimentais
 Adaptação aos ritmos e às rotinas da vida da escola;
 Reconhecer as pessoas e suas funções na escola;
 Situar-se e orientar-se nos espaços físicos da escola;
 Reconhecimento dos espaços que são de seu uso;
 Manifestação das próprias necessidades, vivências, emoções e sentimentos;
 Aceitação da separação;
 Hábitos de autonomia com seus pertences.

Conteúdos Atitudinais
 Enfrentar e superar as dificuldades do processo de adaptação;
 Adaptação aos ritmos e às rotinas da vida escolar;
 Participação na vida da escola;
 Interesse pela relação afetiva com a educadora e com os companheiros;
 Confiança e segurança progressiva nas suas próprias possibilidades;
 Interesse para vencer as dificuldades da transição do ambiente familiar para o escolar;
 Aceitar a separação da família como um processo natural e necessário.


Contemplação das áreas

Língua Portuguesa

Linguagem oral:
 Conversas, relatos de vivências, narração;
 Nomear a professora, funcionários e colegas;

Linguagem escrita:
 Conhecer a escrita do nome através de crachá e lista de nomes;
 Pseudoleitura das regras de convivência.

Matemática
 Orientação Espacial;
 Percurso de trajeto, localização;
 Contagem oral;
 Jogos matemáticos;
 Leitura de calendário.

Natureza e Sociedade
 Profissões (apresentação de funcionários e suas funções);
 Observação dos diferentes ambientes do espaço escolar.

Visual
 Pintura livre (interferência);
 Modelagem
 Recorte e colagem;
 Fantoches, vídeos, slides.

Movimento
 Roda cantada;
 Ginástica;
 Dança;
 Jogos simbólicos
 Esquema corporal.

Música
 Diferentes tipos de sons e músicas diversas.

Projeto: Artes




Projeto: Artes
Nome do projeto: “Descobrindo grandes artistas”
Clientela: Educação Infantil
Justificativa:
Considerando que a criança, desde cedo, interage com o conhecimento social, devemos levar em conta seu interesse e necessidade frente aos objetos da cultura, e destacar o valor da arte no processo ensino-aprendizagem.
Os educadores, representante da cultura, cabem a responsabilidade de ensinar e garantir a transmissão do patrimônio cultural humano às gerações sucessivas.
No trabalho com artes junto a crianças de 2 a 6 anos, a intervenção deve ser fruto da prática reflexiva , e pressupõe criação, observação e transformação de situações de aprendizagem significativas, em que a criança possa expressar tudo o que pensa e sabe sobre o contexto em questão.
Dessa forma, as crianças podem alimentar e construir um percurso criador, informando e contextualizando em relação à produção artística histórica, desenvolvendo-se como pessoas ativas e criadoras.
Objetivos Gerais
Crianças de 0 a 3 anos:

• Ampliar seu conhecimento de mundo por meio da manipulação de diferentes objetos, materiais e técnicas, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contanto com diversas formas de expressão artística.
• Utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar as possibilidades de expressão e comunicação da criança.

Crianças de 4 a 6 anos

• Ter interesse por sua produção, pela produção dos colegas e por outras produções artísticas (regionais, nacionais e internacionais) com as quais entre em contato, ampliando seu conhecimento do mundo e da cultura.
• Produzir trabalhos de arte, utilizando as linguagens do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.
Objetivos específicos:

O fazer artístico:

• Exploração e manipulação de materiais como lápis e pincéis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo; de meios como tintas, água, areia, terra, argila; de suportes gráficos, como jornal, papéis, papelão, chão, caixas, etc.
• Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando à produção de marcas gráficas;
• Criação de desenhos, pinturas, colagens, modelagens e releituras a partir de seu próprio repertório e da utilização de elementos da linguagem das artes visuais ( ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura).
• Exploração dos espaços bidimensionais e tridimensionais na realização de seus projetos artísticos.
• Elaboração de jogos educativos confeccionados pelos alunos e professoras (baralho dos grandes artistas, combinações dos mestres, quebra-cabeças dos mestres, álbum de recortes dos mestres, cartas da cultura artística, grandes dominós artísticos, grande linha do tempo, mapa da fama, caderno meu e seu, etc)
• Cuidado com o próprio corpo e o dos colegas no contato com os materiais.
• Cuidado com materiais e com trabalhos e objetos produzidos individualmente ou no coletivo.
Apreciação:
• Observação e identificação de obras de grandes artistas e sua biografia
• Apreciação de suas produções e das dos colegas por meio da observação e leitura de elementos da linguagem plástica
• Leitura de obras de arte a partir da observação, narração, descrição e interpretação de imagens e objetos
• Apreciação das artes visuais e estabelecimento de correlação com as experiências pessoais.
Materiais utilizados:
1. Espaço físico: sala de aula própria para o desenvolvimento das atividades, contendo: tintas de diferentes cores e texturas (material do aluno)., materiais de suporte: pincéis, brochas, rolos, esponjas, etc ( material do aluno), 25 cavaletes (fornecidos pela escola), 25 aventais para pintura ( fornecido pela escola), 2 armários abertos (fornecido pela escola), 25 mesas e 25 cadeiras ( fornecido pela escola), 1 balcão grande- de 4 metros aproximadamente (fornecido pela escola), 10 panos alvejados , 1 vassoura, 1 lixo grande, 05 bacias grandes, 05 bacias pequenas, 05 bacias médias (fornecidos pela escola).
2. CDs de músicas clássicas e de música popular brasileira ( aproximadamente 6 CDs)
Duração:
O projeto acontecerá durante todo o ano letivo.
Avaliação:
Através da observação do processo criativo de cada aluno

Culminância:

Exposição dos trabalhos e apresentação teatral: “O mundo das cores”
___________________________________________________________________
Observações:
Sugestão de distribuição para o estudo da vida e obra dos artistas:
Sugestão:
1º período (1 e 2 anos) : Pablo Picasso -1º semestre e
Miró – 2º semestre
2º período( 3 anos): Van Gogh – 1º. Semestre
Renoir – 2º semestre
Tarcila do Amaral – 2º Semestre
3º período (4 anos) : Monet – 1º. Semestre
Leonardo da Vinci – 2º Semestre
Cândido Portinari – 2º Semestre
4º período(5 anos) : Michelangelo – 1º Semestre
Salvador Dali – 2º. Semestre
Aleijadinho – 2º Semestre
5º período(5 anos): Paul Gauguin – 1º Semestre
Di Cavalcanti – 2º Semestre
Mestre Vitalino – 2º. Semestre

ATIVIDADES :

KOHL , F. Maryann e SOLGA , Kim. “Descobrindo grandes artistas”.Artmed Editora, Porto Alegre, 2001

Adaptação escolar

Projeto de Adaptação escolar –

Justificativa:
Os primeiros dias na escola geram expectativas, ansiedade, insegurança, angústias, medos e dúvidas em pais, crianças, professores e funcionários. Considerando esse momento muito importante é fundamental desenvolver um trabalho que facilite a transição do ambiente familiar ao escolar, pensando e planejando atividades que garantam uma inserção gradativa, envolvendo todos em um ambiente afetivo e acolhedor.

Objetivo:
 Proporcionar um ambiente agradável e acolhedor, visando o bem-estar do educando;
 Que a criança sinta-se acolhida como um indivíduo se integrando á dinâmica do grupo.
 Desenvolver atividades que permitam que as crianças e pais conheçam e interajam entre si, professores e funcionários.
 Familiarizar a criança ao espaço escolar e sua rotina;
 Oferecer aos pais sugestões, dicas e idéias que facilitem este momento de separação e conquista;
 Que a criança sinta-se á vontade para manifestar suas emoções e necessidades;
 Estabelecer uma comunicação entre pais e membros da escola com a participação da criança.

Conteúdos Conceituais
 Identificação das pessoas suas funções no ambiente escolar;
 Conhecer o espaço físico e a rotina da escola;
 Construção da própria imagem e da identidade;
 Valorização positiva da própria identidade;
 Elaboração oral e coletiva de regras de convivência.

Conteúdos procedimentais
 Adaptação aos ritmos e às rotinas da vida da escola;
 Reconhecer as pessoas e suas funções na escola;
 Situar-se e orientar-se nos espaços físicos da escola;
 Reconhecimento dos espaços que são de seu uso;
 Manifestação das próprias necessidades, vivências, emoções e sentimentos;
 Aceitação da separação;
 Hábitos de autonomia com seus pertences.

Conteúdos Atitudinais
 Enfrentar e superar as dificuldades do processo de adaptação;
 Adaptação aos ritmos e às rotinas da vida escolar;
 Participação na vida da escola;
 Interesse pela relação afetiva com a educadora e com os companheiros;
 Confiança e segurança progressiva nas suas próprias possibilidades;
 Interesse para vencer as dificuldades da transição do ambiente familiar para o escolar;
 Aceitar a separação da família como um processo natural e necessário.


Contemplação das áreas

Língua Portuguesa

Linguagem oral:
 Conversas, relatos de vivências, narração;
 Nomear a professora, funcionários e colegas;

Linguagem escrita:
 Conhecer a escrita do nome através de crachá e lista de nomes;
 Pseudoleitura das regras de convivência.

Matemática
 Orientação Espacial;
 Percurso de trajeto, localização;
 Contagem oral;
 Jogos matemáticos;
 Leitura de calendário.

Natureza e Sociedade
 Profissões (apresentação de funcionários e suas funções);
 Observação dos diferentes ambientes do espaço escolar.

Visual
 Pintura livre (interferência);
 Modelagem
 Recorte e colagem;
 Fantoches, vídeos, slides.

Movimento
 Roda cantada;
 Ginástica;
 Dança;
 Jogos simbólicos
 Esquema corporal.

Música
 Diferentes tipos de sons e músicas diversas.

Tema: “A Escola entra em campo”

Tema: “A Escola entra em campo”



Objetivo:

Desenvolver competências no meio em que vive, assentado sobre a diversidade, a contextualização e a interdisciplinaridade, para sua inserção no mundo holístico.


Justificativa:

O objetivo desse projeto é levar o aluno a adquirir conhecimentos contextualizados, interagindo com o meio em que vive através de diferentes linguagens, despertar sua criatividade através de obras de arte, conhecer regras e técnicas do futebol, aceitar desafios para despertar sua curiosidade em conhecer outros países e perceber diferenças entre os hábitos alimentares e culturais, sempre questionando a realidade, para se tornar cidadãos críticos e participativos.


Atividades sugeridas:

 Palestra com Professor de Educação Física sobre regras e técnicas;
 Pesquisa sobre alimentos, países, bandeiras, costumes;
 Parlenda: O que é que é? É o gol de Pelé
 Socialização da biografia de Candido Portinari “Futebol em Brodósqui”


Competências desenvolvidas:

 Valorizar hábitos saudáveis, como um dos aspectos básicos da qualidade de vida, através do esporte;
 Utilizar diferentes linguagens para se expressar, através de expressões futebolística;
 Questionar a realidade problematizado-a para se chegar à soluções, interpretando situações de equilíbrio e desequilíbrio emocional dos jogadores, refletindo sobre as condutas humanas nas atitudes individuais e coletivas frente ao meio em que vive e acima de tudo sobre a importância do respeito mútuo nas relações interpessoais, públicas e privadas, repudiando a discriminação e primando sempre pelo diálogo pela cooperação, construindo sua identidade, canalizando o patriotismo em nossas vidas.


Avaliação:

A avaliação será ser contínua e progressiva, por meio de diversos instrumentos, atividades escritas, observação, participação, pesquisa, criatividade, interesse, produção de texto, cooperação, valorização e a capacidade de relacionar temas do cotidiano e da vivência de cada um com os conteúdos abordados.

Bibliografia:
www.novaescola.com.br
www.klickeducacao.com.br
Revista Nova Escola / Abril de 2002
Acervo de Cândido Portinari
CD-Rom Almanaque Abril e Barsa
Vídeo TV Escola

Cante, Brinque e Encante




Cante, Brinque e Encante

Justificativa:

Cantar é maravilhoso! "Quem canta seus males espanta". Todos gostam de brincadeiras. Essas cantigas são muito importantes, pois pertencem à tradição oral e são transmitidas de geração a geração. Entre na roda, na ciranda da brincadeira e divirta-se com a sua turma. Será super legal!

Objetivos:

• Pesquisar sobre as diferentes cantigas de roda que existem.
• Proporcionar a leitura e a escrita das canções.
• Ampliar o repertório musical e de outras brincadeiras de roda.

Metodologia:

• Recuperar com os pais, avós, amigos, vizinhos e em livros, cantigas de roda.
• Trabalhar com o grupo de alunos as cantigas
• Analisar as cantigas de roda
• Criar e inventar outras cantigas de roda.

Produção Final:

Organizar um pequeno livro com as cantigas de rodas com as letras e ilustradas pelas crianças.

O que pode ser trabalhado com este projeto?

• Significado das palavras
• Grafia das palavras
• Parlendas
• Trava-línguas
• Adivinhas
• Contos
• Confecção de cartazes com as músicas
• Instrumentos que revelam a interação com as outras culturas
• Jogos populares com sucatas
• Desenvolvimento da coordenação motora
• Noção de espaço
• Danças
• O contexto, os rituais, os costumes

Sugestões de Atividades:

• Elaborar textos coletivos com os alunos a partir das letras das cantigas.
• Dançar as cantigas com coreografia no pátio da escola.
• Criar outras cantigas de roda e ilustrá-las.
• Organizar um livro com as cantigas já conhecidas e as novas criadas pelos alunos.
• Fazer a revisão do que foi copiado no quadro - negro com os alunos.
• Montar o livro com a turma.
• Apresentar as músicas e as danças para os pais e colegas com o autografo do livro de cantigas.

PROJETO CASTELO MÁGICO Maternal




PROJETO CASTELO MÁGICO



Turma: Maternal II

I - Objeto Detonador e Problematização:

Tema: Castelo Mágico

Tive a idéia de desenvolver um projeto que envolvesse castelos, por ser um tema pelo qual o grupo já havia demonstrado interesse.


II - Justificativa:

Os castelos fazem parte do imaginário assim como reis, rainhas, príncipes e princesas.
Estar aguçando a imaginação é papel da Escola e do educador.
Por isso aproveitei o interesse da turma por castelos, para trabalhar tantos outros temas.


III - Perfil do grupo:

Crianças de dois e três anos de idade, que demonstram grande interesse em criar, descobrir e participar.


IV - Objetivos:

Conceituais:

- identificar as letras da palavra castelo.
- reconhecer a quantidade de letras da palavra castelo.
- desenvolver habilidade auditiva e verbal.

Procedimentais:

- identificar as características específicas de castelos.
- registrar filmes.
- confeccionar o castelo.

Atitudinais:

- estimular o gosto pela criação e arte.
- desenvolver as habilidades de observar, comparar e classificar.


V - Janelas:

- linguagem oral e escuta.
- matemática.
- artes visuais.
- natureza e sociedade.


VI - Etapas:


1) Sentar na roda e mostrar figuras de diversos tios de castelos. Questionar o que são, quem vive neles, quais são reais e quais não são. Após mostrar as fotos, levá-los ao castelo da escola e deixar que o explorem.


2) Pesquisa: pedir aos pais que junto com os filhos procurem castelos em revistas e afins para exposição em sala.


3) Apresentar a palavra castelo no quadro, dizer os nomes das letras e quais são identificar as letras dos nomes dos alunos.


4) Passar o filme da Cinderela. Confrontar realidade e fantasia. Registrar.


5) Montar a história coletiva da Cinderela. Registrar.


6) Atividade com a palavra Castelo. Escrita espontânea.


7) Parlenda: Rei, capitão
soldado, ladrão
moça bonita
do meu coração.

Passar para uma folha grande, ilustrando, e expor na sala.

Enviar para os pais e pedir que trabalhem a memorização com as suas crianças.


8) Trabalhar a mnemônica: a galinha do vizinho. Fazer registros com material concreto da mesma. Depois, desenvolver atividade com a palavra castelo: Contar o número de letras e colar um palito de picolé para cada letra.


9) Construir jogos de memória e quebra-cabeças.


10) Introduzir a história do castelo:

(Patrícia Lages)

 "Num lugar muito distante, há muitos e muitos anos, havia um lindo castelo". Desenhar o castelo.
 "Lá morava uma família muito rica e muito grande. Também moravam muitos empregados, que trabalhavam felizes por todos os cantos do castelo". Colar homenzinhos para trabalharem com guache e bucha batida.
 "Bem de manhãzinha, a cozinheira se levantava para preparar o café. Todos ainda dormiam, mas ela já assava seus deliciosos Paes e biscoitos". Procurar
em revistas figuras de pães e biscoitos. Fazer colagem. Pedir que tragam
pães e biscoitos de casa e propor um piquenique "ao ar livre".
 "Logo aparecia o jardineiro, sentindo o cheiro das gostosuras preparadas pela cozinheira. Ela lhe dava uma caneca de café e um bocado de pão". Colagem
de flores de furador e desenho livre.
 "Em poucos minutos, todas as pessoas do castelo já estavam acordadas e
prontas para o café da manhã". Desenho e colagem de grãos de café.
 "Na enorme mesa da cozinha, todos sentavam juntos e faziam suas orações.
Em seguida tomavam seu café com muito gosto, elogiando tudo que comiam.
Depois da deliciosa refeição, cada um partia para seus afazeres".Colagem de
mesa e cadeiras e desenho do café da manhã e das pessoas.
 "O senhor do castelo ia cuidar de suas terras, sua esposa cuidava das crianças menores e do trabalho das empregadas e as outras crianças iam para a escola". Colagem de crianças e desenho.
 "Toda a família voltava a se reunir na grande mesa da cozinha na hora do
almoço e, à noitinha, sentavam numa linda e elegante sala de jantar para
cearem". Desenho com interferência.
 "Todos viviam felizes e contentes. O senhor do castelo era um homem muito
bom, pois ajudava todas as pessoas pobres da cidade. Ele da emprego, comida
e muita vezes até uma casa para morar". Colagem de um castelo e de várias
casas feitas de dobradura.
 "Toda a cidade amava os moradores do castelo e ficavam sentados em frente
dele nos finais de semana para apreciarem sua beleza" .Castelo trabalhado com
bombril.
 "A esposa do senhor preparava festas e banquetes, convidando a cidade para
desfrutar das delícias preparadas por sua fiel cozinheira" .Colar palitos de
picolé e cabeças de papel para criança completar o corpo.
 "As crianças do castelo, ensinavam seus convidados a montarem em seus
potrinhos e a tirarem leite das vacas".Procurar animais em revistas e colar.
 "As festas duravam vários dias e as pessoas que moravam muito longe,
podiam dormir no castelo até terminarem os festejos".Colar as camas e
desenhar as pessoas.
 "Os moradores do castelo sentiam felizes em poder dividir sua riqueza com
toda a cidade. Eles eram muito generosos".Colar as partes do rosto mostrando
felicidade.
 "Mas um dia chegaram nesta cidade, alguns homens muito maus".Desenhar de
preto.
 "Eles observavam a riqueza do castelo e tinham inveja de seus
donos".Colagem de um baú e de várias moedas.
 "Durante um das festas, o senhor do castelo convidou os homens maus, pois
sempre convidava todos".Colagem do castelo para as crianças colarem bonecos
com caras boas e ruins.
 "Os homens, porém, não quiseram ir, e disseram que iam fazer sua própria
festa".Desenho com proposta.
 "Enquanto todos dançavam e se divertiam, os homens maus se aproximaram e
puseram fogo em toda a plantação em volta do castelo".Colagem de celofane
amarelo e vermelho picados para representar o fogo
 "Bem depressa o fogo se espalhou e todos tiveram que correr para
fora".Colagem de bonecos e pintura do fogo (mistura de cores).
 "Toda a cidade chorava ao ver seu lindo castelo pegando fogo".Desenho de
um rosto chorando.
 "Na manhã seguinte havia uma grande nuvem de fumaça e não sobrou nada do
castelo tão querido. O senhor do castelo havia perdido tudo".Colagem do sol
e de areia.
 "Sua plantação, seus animais e suas lindas charretes".Colagem de
diferentes plantas que serão pedidas aos pais que enviem à escola.
 "Mas enquanto todos choravam, um dos homens bons da cidade gritou: Vamos
reconstruir nosso castelo! Faremos tudo de novo e ele será mais bonito do
era antes!" Castelo de palito de picolé.
 "Todos concordaram e pararam de chorar. Logo, a multidão estava reunida,
cada um com sua ferramenta, para começar a reconstrução".Colagem de
ferramentas.
 "O trabalho era duro, mas dia após dia, o castelo ia ressurgindo. Passado
um tempo, o castelo estava de pé, maior e mais lindo do era antes".A partir
do castelo pronto, montar mosaico.
 "Os homens maus foram embora muito envergonhados, pois todos sabiam que
eles foram os causadores daquele incêndio terrível".Desenho com cola
colorida.
 "O senhor do castelo ficou muito grato a toda a cidade e resolveu abrir o
castelo diariamente para que todos os povos pudessem conhecê-lo e caminhar
por suas salas e aposentos".Fazer as portas de papel para desenharem dentro
do castelo.
 "Muitos povos de lugares distantes vinham conhecer a grande obra
construída por toda a cidade e ficavam admirados".Colagem de bonecos e
bandeiras.
 "Assim, toda a cidade vivia feliz e contente em torno de seu
castelo". Pintar o castelo.


11) Confeccionar coroas.


12) Explorar vestimentas (tipos, cores, formas e tamanhos).


13) Trava língua: o rato roeu a roupa do rei de Roma.

Passar para a folha, ilustrando, para expor na sala. Enviar para os pais e pedir que trabalhem a memorização com seus filhos.

14) Para finalizar o projeto, construir castelo de sucata.

15) Apresentação de atividade para toda a escola.


VII - Avaliação:

Registro de observações, documentos e variados que constatem resultados.
Observar diariamente a participação e o desempenho dos alunos na realização das tarefas. Avaliar também a participação dos pais.

Projeto Nossas Cantigas




Projeto Nossas Cantigas
Área: Linguagem
Semestre: I



Objetivo geral:

Que a criança interaja e expresse desejos, necessidades e sentimentos por meio da linguagem oral, contando suas vivências e familiarizando-se, aos poucos, com a escrita pó meio da participação em situações nas quais ela se faz necessária.

Justificativa:

Aprender uma língua não é somente aprender palavras, mas também os seus significados, interpretações e representações da realidade.
A aprendizagem da linguagem oral é um dos mais importantes elementos para que as crianças ampliem suas possibilidades de inserção e de participação nas diversas práticas sociais.
Pensando em estimular a ampliação da linguagem oral do grupo é que estamos propondo o desenvolvimento deste projeto, onde acreditamos estar promovendo situações em que a criança desenvolva sua capacidade de ouvir, se expressar e amplie seu repertório de palavras.

Apresentação:

Este é um projeto que visa possibilitar o contato das crianças com as mais variadas situações comunicativas para que assim comecem a perceber a função social da oralidade, através das cantigas de roda, percebendo esta forma de linguagem como veículo de comunicação e idéias.
No seu decorrer as crianças terão a oportunidade de participar de situações de pesquisas das cantigas a serem trabalhadas, ouvir e discriminar eventos sonoros presentes no desenvolvimento das mesmas e compartilhar o material produzido com colegas e familiares.
Sua culminância será a apresentação de todo material coletado e organizado na Mostra de Conhecimentos realizada pela escola.

Objetivos Conceituais:

• Conhecer diversas cantigas de roda.

• Lembrar de situações de seu cotidiano em que as cantigas se fizeram presentes;

• Classificar as cantigas;

• Comentar as músicas trabalhadas;

• Conhecer, um pouco, a história das cantigas trabalhadas;

• Comparar as cantigas que conhecem;

• Interpretar as cantigas trabalhadas em sala;

• Situar a cantiga no tempo e no espaço;

• Reconhecer a linguagem oral como veículo de comunicação social;

• Identificar algumas cantigas através de sua pista gráfica;



Objetivos Procedimentais:

• Coletar dados e informações sobre o tema em questão;

• Utilizar os conhecimentos adquiridos em diversas situações comunicativas;

• Recorrer à linguagem para expressar necessidades e desejos;

• Reconstruir oralmente algumas cantigas;

• Representar ou dramatizar as cantigas;

• Partilhar as cantigas em conversas e brincadeiras;

• Elaborar novas cantigas;


Objetivos Atitudinais:

• Valorizar a nossa cultura, resgatando as cantigas de roda;

• Respeitar as idéias dos colegas;

• Apreciar o tema em questão;

• Respeitar o momento de falar e de ouvir;

• Partilhar o conhecimento adquirido;

•Cooperar com o desenvolvimento das apresentações das cantigas;


Interveção I:
Objetivo: Apresentar o projeto, levantando conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto.

O.D. 1: Questionar as crianças sobre o que sabem sobre as cantigas de roda.

O.D. 2: Registrar as primeiras hipóteses.


Intervenção II:
Objetivo: Apresentar ao grupo algumas das cantigas que serão trabalhadas.

O.D. 1: Ouvir Cd com cantigas de roda.

O.D. 2: Elaborar uma lista das cantigas;

O.D.3: Desenhar pistas gráficas das cantigas;

Intervenção III:
Objetivo: Conhecer a cantiga: “Atirei o pau no gato”, bem como suas características.

O.D.1: Cantar e registrar a cantiga;

O.D.2: Pesquisar informações, individualmente, sobre origem, personagens presentes e outros.

O.D.3: Confeccionar painel com informações coletadas;

O.D.4: Representar, em sala, esta cantiga.

O.D.5: Conhecer a versão “politicamente correta” desta cantiga.

O.D.6 Conversar sobre os cuidados com os animais;
( outras intervenções que serão elaboradas)


Situação Comunicativa:
• Confeccionar portfólio com todas as informações do projeto para exposição;



• Cantigas de roda (apresentação do material coletado e construído durante o projeto);

• Apresentação de brincadeiras com as cantigas estudadas;


Recursos:
• Cd’s de cantigas;
• Livros de histórias;
• Outros materiais que forem coletados;



Avaliação Formativa:

Efetuar avaliação durante todo o processo de construção de conhecimentos pelo aluno.

domingo, 23 de janeiro de 2011

historias infantil


FAIXA ETÁRIA E INTERESSES



Até 3 Anos
_ Histórias de bichos e com crianças
_ Contos rítmicos leves lúdicos e bem humorados, curtos

De 3 a 6 anos
_ Histórias de bichos
_ Pequenos contos de fadas
_ Poemas ,Trava-línguas, Parlendas
_ Cantigas de rodas
_ limeriques

7 anos a 8 anos
_ Histórias de crianças, animais e encantamentos
_ Contos de fadas
_ Aventuras no ambiente próximo: família e comunidade
_ Histórias humorísticas
_ Lendas folclóricas

9 a 10 anos
_ Mitos
_ Contos de fadas mais elaborados
_ Histórias verídicas, narrativas de viagens
_ Histórias de humor

11 e 12 anos
_ Mitos (hindus, pérsas, árabes, egípcios)
_ Narrativas de viagens
_ Histórias verídicas
_ Mitos de heróis



“ENTROU POR UMA PORTA E SAIU PELA OUTRA...
QUEM QUISER QUE CONTE OUTRA!”
Muitos são os meios utilizados para incentivar a leitura, e dentre eles está a contação de histórias, através da qual, mediador e ouvinte viajam por um mundo de sonhos e fantasias… Podemos apontar inúmeras técnicas de leitura e regras para uma boa contação de histórias, mas todos esses recursos devem estar aliados a EMOÇÂO. Sem emoção, o mediador não consegue transmitir o significado daquela leitura, e de nada adiantou aquele momento… A partir da narração de uma hitória, estamos compartilhando momentos, emoções e despertando reflexões…Mais do que técnicas, a arte de contar histórias está dentro de cada um de nós.

FORMAS DE APRESENTAÇÃO DAS HISTÓRIAS
_ CONTAÇÃO
_ COM O LIVRO
_ COM GRAVURAS
_ COM FANELÓGRAFO
_ COM DESENHOS
_ COM INTERFERÊNCIA
_ PARA CADA SITUAÇÃO UM RECURSO
- COM DOBRADURAS
- COM FANTOCHES
- COM AVENTAIS

CONTAÇÃO:
_ A HISTÓRIA DEVE SER CONTADA CALMAMENTE, PORÉM COM RITMO E ENTUSIASMO.
_ USAR UMA FÓRMULAS TRADICIONAIS DE INTRODUÇÃO E DE ENCERRAMENTO.
_ AO TERMINAR: JAMAIS MORALIZAR O CONTEÚDO NEM DAR EXPLICAÇÕES PSICOLÓGICAS.



CONTANDO HISTÓRIAS COM DOBRADURAS
CAROLINA E O PIRATA

Carolina morava perto do mar e adorava acordar bem cedo e ficar olhando para o horizonte, imaginando que algum dia um navio pirata chegaria àquela cidade, isso mesmo, ela adorava pirata e histórias de pirata.
Num dia de muito sol, Carolina estava lá olhando o mar, quando de repente, avistou um navio e correu para contar para seus amigos que estava chegando um navio pirata. Ninguém acreditou, mas todos foram conferir e, ao pisar na praia, que surpresa! Era um navio pirata com piratas de verdade!
Mas eles não eram tão legais como imaginavam. Foram logo dizendo:
_Vão embora! Não gostamos de crianças!
Todos foram embora e falaram:
_Carolina, esqueça essa história.
Porém, sozinha, ela disse:
_Não vou esquecer, não. Amanhã volto bem cedo para a praia e vou conhecer os piratas.
E foi o que ela fez assim que o sol nasceu. Ficou escondida olhando para o pirata, admirando seu chapéu, e, tomando coragem, perguntou:
_Seu pirata, posso olhar seu chapéu?
Ele respondeu:
_Saia daqui! Eu não gosto de crianças!
Ela insistiu e repetiu:
_Seu pirata, deixe me ver o seu chapéu. Eu gosto tanto de chapéu de pirata.
Como ela não parava de falar, o pirata disse:
_Tudo bem, eu vou te ensinar a fazer um chapéu igual ao meu.
Ela pulou, rodopiou, riu, gritou, só faltou cair de tanta alegria. E ele disse:
_Mas vamos logo, tenho mais o que fazer!!!
... FAZER A DOBRADURA DO CHAPÉU

_Está pronto! (disse o pirata).
Mas Carolina queria ficar lá conversando com o pirata e passou a fazer várias perguntas. O pirata começou a respondê-las e, com muito orgulho, contou suas histórias: os tesouros encontrados no fundo do mar, o salvamento de pessoas, as viagens... Depois de falar sobre muitas e muitas aventuras, o pirata se viu sentindo um carinho pela menininha, mas, mesmo assim, ele disse com voz grossa:
_Vá embora, que já é muito tarde e eu não gosto de crianças!
Aquele dia tinha sido o melhor dia da vida de Carolina, ela estava tão feliz que quase não conseguia dormir.
Quando acordou, adivinhem aonde ela foi? Isso mesmo: pegou seu chapéu de pirata e correu para a praia para ouvir mais histórias de pirata, mas, chegando lá, adivinhem o que aconteceu? O barco não estava mais. Ela olhou para o mar, viu-o sumindo na água e ficou muito triste.
... A PARTIR DA DOBRADURA DO CHAPÉU, FAZER O BARCO

Carolina brincou muito com seu barquinho imaginando seu amigo pirata dentro dele e, todos os dias, ao acordar, ia em direção ao mar esperá-lo voltar.
Um dia, ela estava lá, olhando o mar, quando de repente, avistou um barco grande. Porém o mar estava nervoso, as ondas, bravas, e o barco foi sendo jogado de um lado para outro... Ficou com a parte de cima e o mastro quebrados.
E o mar continuou revoltado e as ondas eram bem grandes.
O barco foi virando, virando e, então, ficou com uma parte do casco quebrada.
... RASGAR UMA PONTA DO BARCO

Depois um outro pedaço do outro lado do casco sofreu o mesmo dano.

... RASGAR A OUTRA PONTA

Carolina já estava desesperada, imaginado o pirata sumindo no meio do mar e que nunca mais iria encontrá-lo. Alguém pode imaginar o que salvará a vida do pirata?
... RASGAR A PARTE DE CIMA DO BARCO, ABRIR PARA VIRAR O COLETE.

O pirata vestiu o colete e começou a nadar, nadar... Até chegar à praia, onde deu um abraço na menininha e disse que estava com saudade. Naquele momento ele gostava de crianças e sempre as reunia para contar suas histórias e aventuras.
FIM
HISTÓRIAS ACUMULATIVAS
São narrações em que os episódios sucedem-se consecutivamente encadeados, numa seqüência pela qual os casos anteriores se repetem face à representação de outro. Os casos acumulam-se então gradualmente até o desfecho, que afinal refere-se ao próprio início da narrativa. O exemplo típico dessa espécie vamos encontrar na estória da formiguinha, cujo pé ficou preso na neve. São estórias que agradam particularmente a crianças novas, pois sua técnica baseada na interação, possibilita maior facilidade ao acompanhamento do enredo.
OUTROS EXEMPLOS:
A SARDINHA E O PATO

Uma sardinha e um pato...
Encontraram uma maneira...
De entrar em uma sapato azul...
De bolinha amarelinha
De fitinha cor-de-rosa
Que a mamãe comprou
E o papai gostou
E o vovô jogou
E o lixeiro levou...

ÁRVORE DA MONTANHA
A árvore da montanha
Nesta árvore tem um galho
O galho da árvore

A árvore da montanha…
Neste galho tem um ninho
O ninho do galho
O galho da árvore

A árvore da montanha…
Neste ninho tem um ovo
O ovo do ninho
O ninho do galho
O galho da árvore



A árvore da montanha…
Neste ovo tem um pássaro
O pássaro do ovo
O ovo do ninho
O ninho do galho
O galho da árvore

A árvore da montanha…
Neste pássaro tem uma pena
A pena do pássaro
O pássaro do ovo
O ovo do ninho
O ninho do galho
O galho da árvore

A árvore da montanha…
Nesta pena tem uma flecha
A flecha da pena
A pena do pássaro
O pássaro do ovo
O ovo do ninho
O ninho do galho
O galho da árvore

A árvore da montanha…
Nesta flecha tem uma fruta
A fruta da flecha
A flecha da pena
A pena do pássaro
O pássaro do ovo
O ovo do ninho
O ninho do galho
O galho da árvore

A árvore da montanha…
Nesta fruta tem uma árvore
Ó que árvore!
A árvore da fruta
A fruta da flecha
A flecha da pena
A pena do pássaro
O pássaro do ovo
O ovo do ninho
O ninho do galho O galho da árvore

MÚSICA PARA INICIAR UMA HISTÓRIA

Palavra Cantada - Uma História

Eu vou te contar uma história, agora, atenção!
Que começa aqui no meio da palma da tua mão
Bem no meio tem uma linha ligada ao coração
Quem sabia dessa história antes mesmo da canção?
Dá tua mão, dá tua mão, dá tua mão, dá tua mão...



LIMERIQUES
São um tipo de poema bem curto. Eles falam de coisas malucas sem sentido e têm sempre cinco versos. A primeira, a segunda e a quinta linhas terminam com a mesma rima. Já a terceira e a quarta são mais curtas e rimam diferentes das outras. Ninguém sabe direito como eles surgiram, mas começaram a fazer sucesso quando um inglês barbudo, gordinho e narigudo, chamado Edward Lear, passou a escrever limeriques. .

Depois de tanta doideira e confusão...
Depois de cair com a cara no chão,
Torcer pernas e o nariz,
o palhaço partiu feliz...
Ganhou asas e virou palhaço-avião...
Elias José




















PORQUÊ CONTAR HISTÓRIAS?
Dentre muitos motivos para se contar histórias, podemos destacar alguns para reflexão:

1. As histórias formam o gosto pela leitura - Quando a criança aprende a gostar de ouvir historias contadas ou lidas, ela adquire o impulso inicial que mais tarde a atrairá para a leitura.
2. As histórias são um poderoso recurso de estimulação do desenvolvimento psicológico e moral que pode ser utilizado como recurso auxiliar da manutenção da saúde mental do indivíduo em crescimento.
3. As histórias instruem –Ao enriquecer o vocabulário infantil, amplia seu mundo de idéias e conhecimentos e desenvolve a linguagem e o pensamento.
4. As histórias educam e estimulam o desenvolvimento da atenção, da imaginação, observação, memória, reflexão e linguagem.
5. As histórias cultivam a sensibilidade, e isso significa educar o espírito. A literatura e os contos de fadas dirigem a criança para a descoberta de sua identidade e comunicação e também sugerem as experiências que são necessárias para desenvolver ainda mais o seu caráter.
6. As histórias facilitam a adaptação da criança ao meio ambiente, pela incorporação de valores sociais e morais que ela capta da vida de seus personagens.
7. As histórias recreiam, distraem, descarregam as tensões, aliviam sobrecargas emocionais e auxiliam, muitas vezes, a resolver conflitos emocionais próprios.


Percebe-se, então, quanto é importante que o professor esteja atento às reações infantis, perante as histórias contadas , podendo ser de grande ajuda para compreensão da realidade de cada uma das crianças. ”O compromisso do narrador é com a história, enquanto fonte de satisfação de necessidades básicas das crianças”.(Betty Coelho, 1991).





ERA UMA VEZ ...

Os animais e a Educação Infantil




Os animais e a Educação Infantil
Disciplinas:
Português, Matemática, História e Geografia, Ciências , Ed. Artística e Literatura Infantil
Duração: Março a Junho
Temas Transversais: Ética, Cidadania , Meio Ambiente, Natureza e Sociedade
Séries: Jardim I, II e Pré
Professoras: XXX
Perfil da classe:

Jardim I
A sala do Jardim I é composta por 12 Alunos regularmente matriculados desde o início do ano letivo de 2002. Desses 12 alunos, 11 posuem idade equivalente para freqüentarem a fase em que se encontram. Apenas um apresenta- se com idade inferior, porém na maioria das situações consegue interagir com o grupo.

É um grupo heterogêneo e revelam- se autônomos na maioria das vezes.

Nesse grupo há 5 meninas e 7 meninos.
Jardim II
Nas primeiras semanas do ano foram desenvolvidas atividades a fim de analisar o aluno, não só individualmente como o coletivo.

São 7alunos com faixa etária entre 4 e 5 anos; sendo 4 meninas e 3 meninos.

Nem todos os alunos fizeram jardim I o que exige um trabalho contínuo.

São crianças que buscam seu crescimento pessoal e pedagógico e apresentam muita curiosidade e vontade de aprender. Eles possuem muita iniciativa e idéias próprias.
Há uma certa divisão entre os sexos : Estão sempre o grupo de meninas e grupo de meninos separados..

O desenvolvimento e a socialização vem acontecendo de uma maneira tranqüila , sempre valorizando o raciocínio lógico e o ser humano.
Pré
A classe da pré escola apresenta - se com 11 alunos freqüentes neste início de ano letivo. Sendo destes 11 alunos 6 meninas e 5 meninos.

Todos os alunos estão numa faixa etária entre 5 a 6 anos. Os alunos com 5 anos completarão 6 anos ainda neste 1º semestre.

Apenas 3 alunos iniciaram o pré nesta escola, pois, os demais já estudavam no colégio e freqüentaram o Jardim II. É uma sala bastante ativa , dinâmica e apresentam grande vontade de interagir nos trabalhos e atividades diárias. Porém necessitando melhorar a questão da oralidade em grupo e aumentar a criticidade.
Estão em níveis parecidos no processo da leitura e da escrita, mas se empenham demais em aprender.
Apresentação do projeto:
Este projeto visa estabelecer classificações em relação com os interesses expressados pelo grupo. Partindo de dois contextos que serão assuntos culminantes para o desenvolvimento do projeto: Páscoa e o passeio ao Jardim Zoológico.

A princípio serão trabalhados os animais que forem do interesse do grupo, que se destacaram no passeio ao Jardim Zoológico e o coelho que estará presente na comemoração da Páscoa.

A partir daí todo o trabalho se encaminhará em várias direções que despertarão os conteúdos a serem trabalhados.
Juntamente aos tópicos direcionados a Ciências Naturais estarão também presentes as fábulas na área de Literatura Infantil. Onde as crianças invadirão o mundo da fantasia e de questões morais encontradas nas diversas fábulas escolhidas pelo grupo.

Assim, cabe lembrar que os temas transversais serão discutidos e estarão sempre presentes nos assuntos predominantes.
Justificativa:
O tema do projeto desperta o interesse natural das crianças desta faixa etária que , em geral, contam com várias informações relativas a ele.

O passeio(Zoológico) e a Páscoa facilitará o acesso às informações relativas ao tema.

A proposta do assunto animais é de uma possível justificativa, pois, os animais têm uma importante presença em seu mundo cotidiano( desenhos animados, histórias, jogos) e além disso, possuem um importante caráter de identificação de suas vivências pessoais e sociais.

Este estudo facilitará a correlação entre diversos animais e destes com seu ambiente que serão aprofundadas e ampliadas em vários estudos.

Objetivos:
• Definir de diversos animais suas principais características;
• Diferenciar vertebrados e invertebrados;
• Conhecer os diversos animais apontando para sua diversidade(locais onde vivem, sua alimentação, seus hábitos e outras peculiaridades relativas a cada espécie);
• Correlacionar todo o estudo com o desenvolvimento do processo de alfabetização.
Conceitos:
• Comparar diversos tipos de animais através da observação;
• Refletir sobre as características individuais de cada animal e risco de extinção;
• Identificar as características específicas de cada grupo de animais;
• Saber identificar: vertebrados e invertebrados, domésticos e selvagens, úteis e nocivos, aquáticos , terrestres e aéreos, reprodução e habitat dos animais.
Procedimentos:
• Pesquisar a história de cada animal do interesse do grupo;
• Coletar dados por meio de pesquisas e observações;
• Usar diferentes fontes de informação e relacioná-las;
• Selecionar alguns tipos de animais para pesquisa;
• Classificar animais;
• Desenvolver atividades lúdicas;
• Desenvolver atividades matemáticas;
• Montar jogos, tabelas e gráficos;
• Elaborar cartazes, álbuns, painéis, bonecos;
• Estabelecer ordem crescente e decrescente;
• Comparar pesos e medidas;
• Formular questões pertinentes que apontem para a caracterização de determinado animal;
• Selecionar informações relativas a aspecto de pesquisa;
• Registrar o assunto organizadamente de diferentes maneiras;
• Assistir a uma peça teatral;
• Associar escrita de nomes , letras e textos;
• Contar histórias para o grupo mostrando gravuras de determinados animais;
• Visitar um Zoológico e Fazendinha dos Bichos;



Atitudes:
• Preocupar-se com a preservação da natureza;
• Interessar-se pelo estudo buscando novas informações relacionadas ao tema;
• Socializar as informações que os alunos possuem sobre o tema;
• Classificar diferentes animais pelas suas características(Diferenças e semelhanças);
• Construir um espírito de cidadão preocupado com o risco de extinção de algumas espécies de animais;
• Organizar- se de forma coerente os pensamentos em relação ao habitat de cada animal;
• Reconhecer o alimento necessário ou preferido de vários animais;
• Identificar como vivem os animais.
Conteúdos relacionados ao projeto:
Português (linguagem oral e escrita)
1. Jardim I
• Nomes (início a formação do próprio nome)
• Letras iniciais de várias nomenclaturas
• Reescrita coletiva(textos, filmes, histórias)
• Escrita espontânea
2. Jardim II
• O nome
• Conversas, diálogos, expressão de sentimentos, imitações, rimas
• Observação e manuseio de livros
• Histórias
• Situações do cotidiano que envolvam leitura e escrita;
• As letras, o alfabeto
3. Pré
• Formação de palavras , frase e pequenos textos
• Números de letras e sílabas
• Ordem alfabética
• Interpretação de textos
• Letras maiúsculas e minúsculas
• Substantivo próprio e comum
• Reescrita de textos e músicas
• Rimas
• Leitura

Matemática
4. Jardim I
• Quantidades
• Cores
• Texturas
• Espessuras
• Tamanho
• Altura e comprimento
• Peso
• Temperatura
• Orientação
• Conjunto
• Formas geométricas;
5. Jardim II
• Cores
• Formas geométricas simples
• Quantidade
• Tamanho
• Altura e comprimento
• Espessura e largura
• Peso
• Temperatura
• Orientação espaço- tempo
• Distância
• Conjunto
• Numerais associados a quantidade
6. Pré
• Quantidade
• Numerais( leitura e escrita)
• Interpretação de gráficos ou tabelas
• Adição
• Subtração
• Formas geométricas
• Situações problemas
• Ordem crescente, decrescente
• Sucessor e antecessor
• Maior e menor
• Conjunto

Ciências Naturais e os temas transversais(natureza e sociedade, meio ambiente, ética e cidadania.
7. Jardim I , Jardim II e Pré
• Moradia(habitat)
• Órgãos do sentido
• Alimentação
• Conservação
• A proteção da fauna
• Animais em extinção
• Partes do corpo
• O dia e a noite
• Diferenças entre os animais selvagens e domésticos
• A família e os bichos de estimação
• Locomoção dos animais
• Classificação dos animais: Reptéis, Anfíbios, mamíferos, aves , peixes e insetos.
• Espécies extintas
• Origem dos animais
• Metamorfose
• Grupos sociais
Atividades:
• Dinâmicas de grupo;
• Pesquisas;
• Leituras informativas;
• Jogos diversos;
• Quebra - cabeça;
• Calendários;
• Atividades matemáticas;
• Seqüência de figuras;
• Desenhos dirigidos e espontâneos;
• Recorte e colagem;
• Observação e relatórios;
• Cruzadinha;
• Caça- palavras;
• Produção de texto;
• Dobraduras(origami);
• Máscaras, fantoches e dedoches;
• Móbiles;
• Músicas;
• Poesias;
• Liga pontos;
• Pinturas;
• Listagens;
• Dramatizações;
• Leituras diversas;
• Passeios relacionados ao tema;
• Escrita espontânea;
• Mímicas;
• Fábulas, contos, histórias;
• Ditado diagnóstico;
• Painéis, tabelas e gráficos;
• Uso do tangran
• Adivinhações.

Material didático/ recursos:
• Livros didáticos e para didáticos;
• CDs/ som
• Televisão/filmes
• Sucatas
• Papéis diversos
• Internet/computador/softwares
• Folhas xerocadas
• Tintas e pincéis
• Lápis coloridos e giz de cera
• Hidrocor
• Máquina fotográfica
• Painéis
• Vídeo
• Revista/ jornais
• Livros de literatura infantil
• Cola
• Tesoura
• Lixas d`água
• Espelho
• Filmadora
• Fichas, figuras
• Tecidos
• Isopor
• Manta acrílica
Eventos relacionados ao projeto:
Páscoa (visita do Coelho)

Passeios:
¨ Jardim Zoológico
¨ Teatro: Peça da Dona Baratinha
¨ Fazendinha de bichos

Exposições:
¨ Bonecos
¨ Maquetes
¨ Álbum
¨ Livros confeccionados na escola

Apresentações de :
¨ Peças Teatrais
¨ Dedoches
¨ Fantoches
¨ Contando histórias
¨ Músicas
¨ Fotos

Instrumentos de Avaliação:
Os projetos transformam a avaliação em um processo contínuo à realidade cotidiana da sala de aula.

Considera- se alguns instrumentos de avaliação:
• Observação do comportamento do educando: hábitos de trabalhos, relacionamento com os amigos e professores, cumprimento das tarefas escolares, atitudes positivas ou negativas com relação aos trabalhos escolares, capacidade de cooperação, aproveitamento de tempo;
• Trabalhos escritos ou de outra natureza qualquer produzidos espontaneamente;
• Produtos de estudo ou de tarefas com relação as diversas situações escolares;
• Dados registrados com referência diretas com o aluno ou em grupo.

EDUCAÇÃO INFANTIL 3 E 4 ANOS



EDUCAÇÃO INFANTIL
3 E 4 ANOS
Artes visuais
O FAZER ARTÍSTICO
Produz trabalhos de arte, utilizando a linguagemdo desenho, da pintura, da modelagem, a partir de
seu próprio repertório.
Utiliza elementos da linguagem das Artes visuais:ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura,
etc.
Explora as possibilidades oferecidas pelos diversosmateriais, instrumentos e suportes necessários
para o fazer artístico.
Explora os espaços bidimensionais etridimensionais na realização de seus projetos
artísticos.
Organiza e cuida dos materiais e do espaço físico da sala.
Respeita e cuida dos objetos produzidos
individualmente e em grupo.
Valoriza as suas próprias produções, das de outras crianças e da produção da arte em geral.
APRECIAÇÃO EM ARTES VISUAIS
Distingue as diferentes produções artísticas, comodesenho, pinturas, esculturas, construções,
fotografias, colagens, ilustrações, cinema, etc.
Aprecia suas produções e as das outras criançaspor meio da observação e leitura de alguns dos
elementos da linguagem plástica.
Observa elementos constituintes da linguagemvisual: ponto, linha, forma, cor, volume,
contrastes, luz, texturas.
Lê obras de arte a partir da observação, narração,descrição e interpretação de imagens e objetos.
Aprecia as Artes visuais, estabelecendo relaçãocom as experiências pessoais.

GRUPO 5
O FAZER ARTÍSTICO
Produz trabalhos de arte, utilizando a linguagemdo desenho, da pintura, da modelagem, a partir de
seu próprio repertório.
Utiliza elementos da linguagem das Artes visuais:ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura,etc.
Explora as possibilidades oferecidas pelos diversos materiais, instrumentos e suportes necessários
para o fazer artístico.
Explora os espaços bidimensionais e tridimensionais na realização de seus projetos
artísticos.
Organiza e cuida dos materiais e do espaço físico da sala.
Respeita e cuida dos objetos produzidos individualmente e em grupo.
Valoriza as suas próprias produções, das de outras crianças e da produção da arte em geral.
APRECIAÇÃO EM ARTES VISUAIS
Distingue as diferentes produções artísticas, como desenho, pinturas, esculturas, construções,
fotografias, colagens, ilustrações, cinema, etc.
Aprecia suas produções e as das outras crianças por meio da observação e leitura de alguns dos
elementos da linguagem plástica.
Observa elementos constituintes da linguagem visual: ponto, linha, forma, cor, volume,
contrastes, luz, texturas.
Lê obras de arte a partir da observação, narração,descrição e interpretação de imagens e objetos.
Aprecia as Artes visuais, estabelecendo relação com as experiências pessoais.


3 E4 ANOS
Formação pessoal e social
ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM
Expressa seus desejos, desagrados, necessidades,preferências e vontades em brincadeiras e nas
atividades cotidianas.
Reconhece progressivamente o próprio corpo e asdiferentes sensações que produz.
Identifica, progressivamente, algumassingularidades próprias e das pessoas com as
quais convive no seu cotidiano em situações de interação.
Pede ajuda nas situações em que isso se faznecessário.
Realiza pequenas ações cotidianas ao seu alcance,adquirindo maior independência.
Interessa-se pelas brincadeiras e exploração de diferentes brinquedos.
Participa de brincadeiras de “esconder e achar” e brincadeiras de imitação.
Escolhe brinquedos objetos e espaços para brincar.
Participa, com interesse, de situações que envolvem a relação com o outro.
Respeita regras simples de convívio social.
Faz a higiene das mãos ainda que com a ajuda.
Expressa desconforto relativo à presença de urina e fezes nas fraldas ou roupas pessoais.
Interessa-se em despreender-se de fraldas.
Alimenta-se com progressiva autonomia,
experimentando novos tipos de alimentos.

GRUPO 5
Formação pessoal e social
ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM
Expressa e manifesta controle progressivo de suas necessidades, desejos e sentimentos em situações
cotidianas.
Apresenta iniciativa para resolver pequenosproblemas do cotidiano, pedindo ajuda se
necessário.
Identifica progressivamente, algumassingularidades próprias e das pessoas com as
quais convive no seu cotidiano em situações de interação.
Participa de situações de brincadeira, escolhendo os parceiros, os objetos, os temas, o espaço e os
personagens.
Participa de brincadeiras que envolvem meninas e meninos, tais como: futebol, casinha e pular
corda.
Valoriza o diálogo como uma forma de lidar com os conflitos.
Realiza pequenas tarefas do cotidiano que envolvem ações de cooperação, solidariedade e
ajuda na relação com os outros.
Respeita as características pessoais relacionadas ao gênero, etnia, peso, estatura, etc...
Valoriza a limpeza e aparência pessoal.
Respeita e valoriza a cultura do seu grupo de origem e de outros grupos.
Reconhece o grupo étnico-racial o qual pertence.
Utiliza e respeita algumas regras elementares de convívio social.
Participa de situações que envolvem a combinação de algumas regras de convivência em grupo e
aquelas referentes ao uso dos materiais e do espaço, quando isso for pertinente.
Cuida dos materiais de uso individual e coletivo.
Utiliza procedimentos relacionados a alimentação e a higiene das mãos, cuidado e limpeza pessoal das várias partes do corpo.
Utiliza adequadamente os sanitários.
Identifica situações de risco no seu ambiente mais próximo.
Utiliza procedimentos básicos de prevenção a acidentes e autocuidado.

Matemática 3 e 4 anos
Utiliza a contagem oral em jogos, brincadeiras e músicas, junto com o professor e nos diversos
contextos em que isso se faz necessário.
Manipula objetos e brinquedos, observando as suas características, propriedades e
possibilidades associativas: empilhar, rolar, transvasar, encaixar, etc.


Matemática 5 anos

NÚMEROS E SISTEMA DE NUMERAÇÃO
Utiliza a contagem oral nas brincadeiras e emsituações nas quais as crianças reconheçam sua
necessidade.
Utiliza noções simples de cálculo mental como ferramenta para resolver problemas.
Comunica quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação numérica e/ou registros não
convencionais.
Identifica números nos diferentes contextos em que se encontram
Compara escritas numéricas, identificando algumas regularidades.
Relaciona à idéia de numero a quantidade correspondente.
GRANDEZAS E MEDIDAS
Explora diferentes procedimentos para comparar grandezas.
Utiliza noções de medida de comprimento, peso, volume e tempo, pela utilização gradativa de unidades não convencionais e convencionais.
Localiza-se no tempo por meio de calendário.
Realiza experiências com dinheiro em brincadeiras ou situações de seu interesse.
ESPAÇO E FORMA
Explicita e/ou representa a posição de pessoas e objetos, utilizando vocabulário pertinente nos
jogos e brincadeiras diversas.
Identifica propriedades geométricas de objetos e figuras, como formas, tipos de contornos,
bidimensionalidade, tridimensionalidade, faces planos, lados retos.
Representa objetos bidimensionais e tridimensionais.
Identifica pontos de referência para situar-se e deslocar-se no espaço.
Representa pequenos percursos e trajetos, observando pontos de referências.

3 e 4 anos
Conhecimento de mundo
Movimento
EXPRESSIVIDADE
Imita gestos simples (agitar os braços, por
exemplo).
Segue movimentos com os olhos e move a cabeça
na direção de sons.
Apropria-se da imagem de si mesmo.
Explora as possibilidades de gestos e ritmos
corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas
demais situações de interação.
Explora as partes do corpo, identificando as
qualidades do próprio corpo e do corpo dos outros,
suas semelhanças e diferenças.
EQUILIBRIO E COORDENAÇÃO
Segura objetos por um tempo maior, por exemplo
segura um biscoito para comer.
Senta em diferentes inclinações.
Deita em diferentes posições.
Mantem-se em pé apoiando-se em algo.
Desloca-se no espaço engatinhando.
Desloca-se no espaço, andando ou saltando.
Tira objetos de um recipiente e coloca em outro.
Envolve-se em brincadeiras de esconder, atirar
uma pequena bola, etc.
Empurra carrinhos e caixas, marcha, dança, rola,
sobe e desce de cadeiras, etc.
Empilha cerca de seis blocos ou outros objetos.
Explora e utiliza os movimentos de preensão,
encaixe, lançamento, etc., através de
experimentação de diferentes objetos.

Grupo 5
Conhecimento de mundo
Movimento
EXPRESSIVIDADE
Expressa-se com movimentos intencionais nassituações cotidianas e em suas brincadeiras.
Expressa-se corporalmente por meio da dança,brincadeiras e de outros movimentos.
Utiliza diferentes modalidades de dança,ampliando as possibilidades estéticas do movimento.
Percebe sensações, limites, potencialidades, sinais vitais e integridade do próprio corpo.
EQUILÍBRIO E COORDENAÇÃO
Participa de brincadeiras e jogos que envolvem correr, subir, descer, escorregar, pendurar-se e
dançar.
Apresenta controle gradativo sobre o corpo e o movimento.
Utiliza recursos de deslocamento e das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade nos
jogos e brincadeiras das quais participa.
Valoriza suas conquistas corporais.
Manipula materiais, objetos e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades
manuais.


3 e 4 anos
Natureza e sociedade
Participa de atividades que envolvem histórias,brincadeiras, jogos e canções relacionadas às
tradições culturais de sua comunidade e de outrosgrupos.
Explora diferentes objetos, suas propriedades e
relações simples de causa e efeito.
Mantém contato com pequenos animais e plantas.
Conhece de modo progressivo o próprio corpo por
meio do uso e exploração de suas habilidades
físicas, motoras e perceptivas.




Natureza e sociedade
5 anos
ORGANIZAÇÃO DOS GRUPOS E SEU MODO DE
SER, VIVER E TRABALHAR.
Participa de atividades que envolvem histórias,brincadeiras, jogos e canções relacionadas às tradições culturais de sua comunidade e de outras.
Identifica modos de ser, viver e trabalhar de alguns grupos sociais do presente e do passado.
Identifica alguns papéis sociais existentes em seus grupos de convívio, dentro e fora da instituição.
Valoriza o patrimônio cultural do seu grupo social.
Interessa-se em conhecer diferentes formas de expressão cultural.
OS LUGARES E SUAS PAISAGENS
Observa a paisagem local, identificando rios,vegetação, construções, florestas, campos, dunas,
açudes, mar, montanhas, etc.
Utiliza com ajuda do adulto, fotos, relatos e outros registros, identificando mudanças ocorridas nas
paisagens ao longo do tempo.
Apresenta atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente.
OBJETOS E PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO
Participa de atividades que envolvem processos de
confecção de objetos.
Reconhece algumas características de objetos produzidos em diferentes épocas e por diferentes
grupos sociais.
Identifica algumas propriedades dos objetos, tais como: refletir, ampliar ou inverter as imagens,
produzir, transmitir ou ampliar sons, etc.
Cuida dos objetos utilizados no cotidiano, adotando atitude de segurança e preservação de
acidentes e a sua conservação.
SERES VIVOS
Estabelece algumas relações entre diferentes espécies de seres vivos, caracterizando-os.
Cuida de pequenos animais e vegetais, por meio de sua criação e cultivo.
Identifica algumas espécies da fauna e da flora brasileira e mundial.
Observa os cuidados necessários à preservação da vida e do ambiente.
Cuida de animais e plantas, demonstrando valorização a vida.
Cuida do próprio corpo e da sua saúde para o bem estar individual e coletivo.
FENÔMENOS DA NATUREZA
Estabelece relações entre os fenômenos da natureza de diferentes regiões (relevo, rios,
chuvas, secas) e as formas de vida dos grupos sociais que ali vivem.
Participa de diferentes atividades que envolvem a observação e a pesquisa sobre a ação de luz,
calor, som, força e movimento.

3 e 4 anos
ORALIDADE E ESCRITA
Usa a linguagem oral nas conversas e relatos de suas vivências.
Expressa desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação
presentes no cotidiano, utilizando a oralidade.
Participa de situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos como contos, poemas,
parlendas e trava-línguas.
Participa de situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita.
Observa e manuseia materiais impressos como livros, revistas, histórias em quadrinhos.
Realiza pseudo-leitura na identificação do próprio nome.

ORALIDADE E ESCRITA
5anos

FALAR E ESCUTAR

Usa a linguagem oral nas conversas e brincadeiras.
Ouve com atenção e respeita a fala do outro.
Expressa desejos, necessidades, opiniões, idéias,preferências e sentimentos através da oralidade.
Relata suas vivências nas diversas situações de interação presentes no cotidiano.
Elabora perguntas e respostas de acordo com os diversos contextos de que participa.
Participa de situações que envolvem a necessidade de explicação e argumentação das suas idéias e
pontos de vista.
Relata experiências vividas, narrando fatos em seqüência temporal e causal.
Reconta histórias conhecidas com aproximação das características da história original no que se
refere a descrição de personagens, cenário e objetos com ou sem ajuda do professor.
Reproduz oralmente jogos verbais como travalínguas,
parlendas adivinhas, quadrinhas, poemas e canções.
PRÁTICAS DE LEITURA
Participa de situações de leitura realizada pelos adultos, interagindo com diferentes gêneros
textuais, contos, poemas, noticiais de jornal,informativos, parlendas, trava-línguas.
Lê textos diversos, ainda que não o façam de maneira convencional (placas, rótulos, músicas,
parlendas, etc.)
Reconhece o próprio nome dentro do conjunto de nomes do grupo.
Observa e manuseia materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos.
Valoriza a leitura como fonte de prazer e entretenimento.
Distingue diferentes gêneros textuais lidos em sala (poemas, contos, parlendas, cartas, notícias).
PRÁTICAS DE ESCRITA
Participa de situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da escrita.
Escreve o próprio nome em situações em que isso se faz necessário.
Produz textos individuais e/ou coletivos ditados oralmente ao professor para diversos fins.
Realiza práticas espontâneas de escrita, utilizando o conhecimento de que dispõe sobre o sistema de
escrita alfabética.
Respeita a própria produção e a do outro.
Estabelece relação entre o que se fala e o que se escreve.
Diferencia o desenho da escrita.
Diferencia as letras dos números.
Relaciona o gênero textual com a sua respectiva função social.

3 e 4 anos
Música
FAZER MUSICAL
Manuseia objetos que produzem sons (ex.:pequenos tambores, chocalhos, recipientes de
plásticos cheios de diferentes materiais).
Explora materiais sonoros diversos.
Participa de brincadeiras e jogos cantados e
rítmicos.
APRECIAÇÃO MUSICAL
Escuta obras musicais variadas.
Escuta diversos tipos de som (Ex. telefone,campanhia, a água correndo, a chuva, o cachorro
latindo, o avião, etc.)
Participa de situações que integrem músicas,
canções e movimentos corporais.





5 anos


FAZER MUSICAL
Reconhece e utiliza de forma expressiva, emcontextos musicais as diferentes características geradas pelo silêncio e pelos sons: altura,duração, intensidade e timbre.
Desenvolve memória musical através de repertório de canções.
Participa de jogos e brincadeiras que envolvam a dança e/ou a improvisação musical.
APRECIAÇÃO MUSICAL
Explora diferentes objetos e suas possibilidades sonoras (latas, garrafas cheias e vazias).
Escuta obras musicais de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas, da produção musical brasileira e de outros povos e países.
Busca informações sobre as obras ouvidas e seus compositores.

1º ANO ALFABETIZAÇÃO




PORTUGUÊS

OBJETIVOS GERAIS:
• Adaptação do educando à escola
• Criar condições favoráveis ao desenvolvimento de atitudes e habilidades necessárias a aprendizagem da leitura e escrita, despertando no educando a cooperação, criatividade, valorização, visando o desenvolvimento de valores pessoais e sociais.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Desenvolver no educando sua percepção, motricidade, esquema corporal, lateralidade, orientação espacial e temporal.
• Leva-lo a concluir que o alfabeto é um conjunto de letras que quando ordenadas formam sílabas e palavras.
• Expressar-se oralmente, reproduzindo histórias e criando textos;
• Identificar semelhanças e diferenças de detalhes gráficos das letras;
• Despertar o interesse pela biblioteca, o teatro, como hábito de informação e recreação.
• Ler obras infantis revelando a compreensão.
• Relatar experiências vividas


CONTEÚDOS:

1º BIMESTRE
• Período preparatório - serão trabalhados os aspectos relacionados com: visão, audição, coordenação motora, lateralidade, orientação espacial e temporal;
• Conhecimento do alfabeto;
• Vogais e encontros vocálicos;

2º BIMESTRE
• Reconhecimento do alfabeto;
• Nomes próprios;
• Formação e leitura de palavras novas a partir da união de sílabas estudadas;
• Estudo de rótulos, embalagens, cartazes, crachás e palavras-chaves;
• Leitura e interpretação oral de pequenos textos;

3º BIMESTRE
• Letras maiúsculas e minúsculas;
• Emprego do parágrafo e pontuação;
• Elaboração de frases escritas;
• Leitura, reescrita e interpretação de pequenos textos;
• Divisão silábica.








4º BIMESTRE
• Construção de pequenos textos;
• Leitura e interpretação oral e escrita de diversos textos;
• Produção de pequenos textos por meio de ilustrações.


ESTRATÉGIAS:
• Filmes;
• Livros infantis;
• Gibis;
• Revistas;
• Músicas;
• Poesias;
• Parlendas;
• Trava-línguas;
• Caça-palavras;
• Cruzadinhas;
• Crachás;
• Cartazes;
• Trabalhos individuais e em agrupamentos, conforme a fase de produção de escrita da criança.


AVALIAÇÃO:
• Avaliação diagnóstica, contínua e paralela baseado nas dificuldades do aluno;
• Verificação das atividades diárias e extra-classe.













MATEMÁTICA


OBJETIVOS GERAIS:
• Construção e apropriação de um conhecimento pelo aluno;
• Associação do numeral à quantidade e de símbolos impressos;
• Desenvolvimento das operações fundamentais;
• Ampliação do raciocínio lógico-matemático e sócio-construtivista;


OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Compreender do sistema numérico e das quatro operações fundamentais;
• Fazer uso da linguagem matemática como representação significativa;
• Desenvolver o raciocínio cognitivo.


CONTEÚDOS:

1º BIMESTRE
• Noções de conjunto e sua correspondência;
• Numerais de 1 a 9 ;
• Formas geométricas e cores;
• Exploração de quantidades;
• Adição simples com o total até 9 ;
• Noções de subtração.

2º BIMESTRE
• Sistema de numeração decimal
• Seqüência numérica
• Vocabulário de grandeza-posição, direção e sentido;
• Noções de dezena;
• Adição e subtração simples envolvendo unidade e dezena;
• Ordem crescente e decrescente.

3º BIMESTRE
• Operações de adição e subtração com e sem reserva e recurso, respectivamente;
• Leitura de calendário, gráficos e tabelas;
• Números pares e ímpares
• Resolução de situações-problemas;
• Leitura e escrita dos números;
• Construção dos fatos fundamentais;
• Manuseio de encartes de supermercados;






4º BIMESTRE
• Sucessor e antecessor;
• Dobro e triplo;
• Dúzia e meia dúzia;
• Sistema monetário;
• Multiplicação simples;
• Noções de divisão;
• Geometria: quadrado, triângulo, círculo e outras formas.


ESTRATÉGIAS:
• Jogos;
• Brincadeiras;
• Material pedagógico;
• Carimbos;
• Dominó;
• Palitos de sorvete;
• Recorte de encartes de supermercados.


AVALIAÇÃO:
• Será contínua, observando e considerando seus avanços obtidos nas resoluções de raciocínio em situações que lhe serão apresentadas.
















HISTÓRIA

OBJETIVOS GERAIS:
• Reconhecer as noções de espaço-temporal;
• Perceber e desenvolver habilidades relacionadas a sua história, bem como seu contexto escolar e familiar;

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Identificar a organização e estrutura de uma família;
• Reconhecer o bairro onde mora;
• Noções de cidade e estado.

CONTEÚDOS:

1º BIMESTRE
• Pesquisas com o significado do seu nome e o motivo da escolha pelos pais;
• Desenho da família;
• Nome dos familiares;
• Dados pessoais;
• História dos avós.

2º BIMESTRE
• Noções de tempo, espaço e mudanças;
• Trajeto de casa para a escola;
• O caminho para o centro da cidade;
• Profissões.

3º BIMESTRE
• O município;
• O bairro;
• A comunidade;
• Folclore.

4º BIMESTRE
• Educação viária;
• Qualidade de vida;
• Cidadania.

ESTRATÉGIAS:
• Vivências dos alunos;
• Vídeos;
• Pesquisas;
• Exposições;
• Jogos e brincadeiras.


AVALIAÇÃO:
• Será contínua por meio da observação e participação.


GEOGRAFIA


OBJETIVOS GERAIS:
• Preservar e compreender o ambiente em que vive;
• Perceber e compreender a importância de se posicionar criticamente diante das situações;
• Ajustar a criança em seu meio ambiente.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Identificar o meio social e suas relações;
• Desenvolver atitudes de carinho pelo meio ambiente e sua preservação;
• Identificar o aproveitamento que o homem faz e suas modificações.


CONTEÚDOS:

1º BIMESTRE:
• Reconhecimento do espaço físico da escola;
• Identificação da sala de aula como espaço comum;
• Localização na sala de aula.

2º BIMESTRE:
• Tipos de moradia;
• Zona rural e urbana;

3º BIMESTRE:
• Meios de comunicação;
• Meios de transporte.

4º BIMESTRE:
• Sinais de trânsito;
• Estações do ano;
• Trabalho e lazer.


ESTRATÉGIAS:
• Passeio pela escola;
• Conversas;
• Pesquisas e trabalhos em grupos;
• Visitas em loco;
• Revistas e filmes.


AVALIAÇÃO:
• Paralela e contínua, através da observação diária, participação oral e escrita.




CIÊNCIAS


OBJETIVOS GERAIS:
• Conhecer seu próprio corpo e suas funções;
• Reconhecer a importância da água em nossa vida;
• Conhecer os órgãos do sentido;
• Noções de higiene.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Despertar a consciência ecológica, enfatizando sua degradação e preservação;
• Reconhecer os recursos naturais;
• Proporcionar o reconhecimento do corpo humano;
• Salientar a importância dos bons hábitos de higiene.


CONTEÚDOS:

1º BIMESTRE:
• Higiene corporal, pessoal, coletiva e ambiental;

2º BIMESTRE:
• Animais: vertebrados e invertebrados;
• Tipos de animais e seus habitat;
• Animais domésticos e selvagens.

3º BIMESTRE:
• Seres vivos e plantas;
• Prevenção de acidentes.

4º BIMESTRE:
• Meio ambiente;
• Lixo reciclável e não-reciclável.


ESTRATÉGIAS:
• Atividades sócio-culturais;
• Feira de Ciências;
• Excursões e visitas em loco;
• Projeto: Meio Ambiente;
• Cartazes e desenhos;
• Vídeos e pesquisas;
• Mapas do corpo humano.


AVALIAÇÃO:
• Paralela e contínua, realizada por meio da observação diária.




ATIVIDADES EXTRA-CLASSE


EXCURSÕES:





PROJETOS:

-Água;
-Folclore;
-Meio Ambiente;
-Viário;
-Alimentação.
-